Blog

REMODELAÇÃO DO DECRETO-LEI N.º 3/2008, DE 7 DE JANEIRO

Hoje irei tratar o terceiro ponto que me levanta dúvidas sobre o preceituado no “Regime Legal para a Inclusão Escolar” (RLIE), documento emanado do Ministério da Educação destinado a substituir o Decreto-Lei n.º 3/2008, de 7 de janeiro, em discussão pública até 30 de setembro de 2017. 3.º PONTO EM ANÁLISE: DEFINIÇÕES O artigo 2.º, Definições, do RLIE (Alteração ao Decreto-Lei n.º 3/2008, de 7 de janeiro – Versão para consulta pública) enuncia um conjunto de definições que entende necessárias para a compreensão do documento na generalidade no que respeita à sua aplicabilidade. Se, por um lado, estou de acordo...

Continue Reading →

REMODELAÇÃO DO DECRETO-LEI N.º 3/2008, DE 7 DE JANEIRO

Ocupo-me hoje sobre o segundo ponto que me levanta dúvidas sobre o preceituado no “Regime Legal para a Inclusão Escolar” (RLIE), documento emanado do Ministério da Educação destinado a substituir o Decreto-Lei n.º 3/2008, de 7 de janeiro, em discussão pública até 30 de setembro de 2017. 2.º PONTO EM ANÁLISE: CATEGORIZAÇÃO Na “Alteração ao Decreto-Lei n.º 3/2008, de 7 de janeiro – Versão para consulta pública” lê-se no seu preâmbulo que se afasta “a concessão de que é necessário categorizar para intervir”[1]. Ora é precisamente esta afirmação que me leva hoje ao 2.º ponto da análise que me propus...

Continue Reading →

REMODELAÇÃO DO DECRETO-LEI N.º 3/2008, DE 7 DE JANEIRO

Fui convidado para dar o meu parecer sobre o preceituado no “Regime Legal para a Inclusão Escolar” (RLIE), documento emanado do Ministério da Educação destinado a substituir o Decreto-Lei n.º 3/2008, de 7 de janeiro, em discussão pública até 30 de setembro de 2017. Assim, durante todo o mês de setembro irei dar a minha opinião sobre os pontos que, na minha ótica, poderão levantar mais dúvidas. Começarei pelo conceito (movimento) que dá corpo ao documento. 1.º PONTO EM ANÁLISE: CONCEITO DE INCLUSÃO O conceito de inclusão, melhor dizendo o movimento da inclusão e os princípios que subentende, nasce da...

Continue Reading →

REMODELAÇÃO DO DECRETO-LEI N.º 3/2008, DE 7 DE JANEIRO

A Flora Editora solicitou ao Professor Luís de Miranda Correia uma análise do documento intitulado “Regime Legal para a Inclusão Escolar”, emanado do Ministério da Educação e aberto para discussão pública até 30 de setembro de 2017. O Professor Miranda Correia aceitou o convite, comprometendo-se, regularmente, a dar o seu parecer sobre todos os pontos que possam merecer a sua atenção. Assim, durante todo o mês de setembro, a Flora Editora publicará no seu Blog a opinião do Professor Miranda Correia quanto ao documento acima referido que pretende remodelar o Decreto-Lei n.º 3/2008, de 7 de janeiro. Para além de...

Continue Reading →

Necessidades especiais: O que são?

Há um conjunto de crianças, adolescentes e/ou adultos cujas características, capacidades e necessidades, obrigam muitas vezes a que a escola e a sociedade se organizem no sentido de melhor poderem elaborar respostas educativas eficazes, ou de qualquer outra ordem, que façam com que eles venham a experimentar sucesso. Estes indivíduos designam-se de indivíduos com necessidades especiais. As necessidades especiais dizem respeito a um conjunto de fatores, de risco ou de ordem intelectual, emocional e física, que podem afetar a capacidade de um indivíduo em atingir o seu potencial máximo. Estes fatores podem, assim, originar “discapacidades” ou “talentos”, podem afetar uma...

Continue Reading →

Flora Editora uma editora de confiança

Flora Editora uma editora de confiança Embora a FLORA EDITORA tenha nascido há pouco mais de 3 meses,o seu objetivo, no futuro, é ser considerada como uma Editora de confiança e líder na área das necessidades especiais, pelo que o seu projeto envolve a colaboração dos mais reputados especialistas nacionais e estrangeiros na elaboração de materiais de grande qualidade cujo conteúdo se insira na área das necessidades especiais e cujos preços sejam acessíveis a todos: Educadores, professores, técnicos de educação e pais.  

Continue Reading →

A FLORA EDITORA acredita

A FLORA EDITORA acredita A FLORA EDITORA acredita, que “não há nenhum aluno que não queira aprender”. Assim, todos os dias nos esforçamos para promover o potencial de milhares de alunos com necessidades especiais que frequentam as nossas escolas, através da publicação de livros e materiais escolares que possam responder às suas necessidades académicas e socioemocionais.  

Continue Reading →

Identificação de alunos com dislexia

Sabia que nem todos os problemas de leitura devem ser atribuídos à dislexia. Em grande parte dos casos eles podem ser atribuídos a fatores socioeconómicos, problemas de linguagem, dificuldades cognitivas e, até, impreparação da criança para o início do percurso escolar. No entanto, dado que um número significativo de alunos experimenta problemas de leitura que nada têm a ver com a dislexia, mesmo que muitos dos sinais que exibem estejam presentes, a maioria dos professores só muito mais tarde se apercebe deste facto, quando eles se encontram bastante atrasados em relação aos seus pares. Embora os alunos com dislexia tenham...

Continue Reading →

INCLUSÃO: UM DESAFIO ENTRE O IDEAL E O REAL

Num livro que publiquei há já alguns anos, intitulado Educação Especial e Inclusão, deixava antever que deveria haver uma coexistência pacífica entre estes dois conceitos, um relacionado com um conjunto de recursos especializados que devem prestar serviços e apoios quando solicitados pelas escolas (aqui refiro-me ao conceito de educação especial) e, o outro, com um movimento que surge em meados dos anos 80 do século passado, pela mão de associações científicas e associações de pais, com o fim de inserir as crianças e os adolescentes com necessidades educativas especiais (NEE) significativas nas escolas das suas residências e, sempre que possível,...

Continue Reading →

APRENDER A LER … PARA LER PARA APRENDER

Tal como muitas das aprendizagens e aquisições humanas, a competência para ler surge inicialmente como objectivo de aprendizagem, para, depois de dominada, poder servir de ferramenta para novas aprendizagens, ou seja, aprendemos a ler para depois lermos para aprender. À semelhança da construção de uma casa, onde cada estrutura necessita de outra que a precede mas que lhe dá apoio, também o domínio da leitura implica um conjunto de pré-requisitos e, posteriormente, passa a ser ela própria um pré-requisito para novas aprendizagens. Percebemos assim que a aprendizagem da leitura é um processo altamente complexo e extraordinário, que encontra as suas...

Continue Reading →